Pesquisar
,

São Paulo: Ato contra Olimpíadas termina em repressão e cerca de 70 detidos

Ainda durante a concentração do ato, por volta das 17:30, manifestantes começaram a ser revistados por policiais militares.
por Pedro Marin | Revista Opera
(Foto: Pedro Marin / Revista Opera)

Uma manifestação contra os Jogos Olímpicos em São Paulo terminou na última sexta-feira (5) com a detenção de cerca de 70 manifestantes após a Polícia Militar reprimí-los com cassetetes e spray de pimenta.

Ainda durante a concentração do ato, por volta das 17:30, manifestantes começaram a ser revistados pela polícia. Pouco tempo depois, a PM formou um cordão de isolamento no MASP, impedindo a entrada e a saída de qualquer pessoa – inclusive dos manifestantes.

(Foto: Pedro Marin / Revista Opera)
(Foto: Pedro Marin / Revista Opera)

“Isso aqui é uma área pública, isso é um crime, isso aqui é uma violação do direito de livre expressão, manifestação e reunião, que é um direito constitucional, é um direito humano internacionalmente reconhecido, e [uma violação] do direito de ir e vir, porque o vão-livre do Masp é uma área pública que está sendo limitada pelo poder policial”, disse à Agência Brasil a ativista da Anistia Internacional Rebeca Lerer.

Por volta das 18h45, os manifestantes conseguiram furar o bloqueio policial pelas laterais do MASP, onde há um espelho d’água, e a marcha, com cerca de 200 pessoas, se iniciou.

Às 19h20, no entanto, cerca de 70 manifestantes foram reprimidos com cassetetes e spray de pimenta na Rua Augusta. Eles foram cercados pela PM, revistados e levados ao 38º Distrito Policial.

 

Continue lendo

paraisopolis
Massacre de Paraisópolis: "cada dia de espera é mais um dia de sofrimento", diz antropóloga
forcas armadas
As Forças Armadas contra o Brasil negro [parte 1]
ditadura
Reabertura de comissão sobre mortos e desaparecidos da ditadura e luta contra o golpismo ganham força em ato no RJ

Leia também

palestina_al_aqsa
Guerra e religião: a influência das profecias judaicas e islâmicas no conflito Israel-Palestina
rsz_jones-manoel
Jones Manoel: “é um absurdo falar de política sem falar de violência”
Palmares
A República de Palmares e a disputa pelos rumos da nacionalidade brasileira
Acampamento de manifestantes pedem intervenção militar
Mourão, o Partido Fardado e o novo totem [parte I]
pera-9
A música dos Panteras Negras
illmatic
‘Illmatic’, guetos urbanos e a Nova York compartimentada
democracia inabalada
Na ‘democracia inabalada’ todos temem os generais
golpe bolsonaro militares
O golpe não marchou por covardia dos golpistas
colono israel
Os escudos humanos de Israel