Pesquisar
,

Argentina: Câmara de Deputados aprova orçamento de Macri para 2017

O orçamento de Macri estabelece cortes no investimento dos serviços públicos e outras áreas. Atualmente, 32,2% dos argentinos vivem na pobreza.
por Pedro Marin | Revista Opera
Presidente Michel Temer durante encontro com Presidente da República Argentina, Mauricio Macri (Foto: Beto Barata / PR)

A Câmara de Deputados da Argentina aprovou na madrugada desta quinta-feira (3) o projeto de orçamento do governo de Mauricio Macri para o ano de 2017, que estabelece cortes no investimento em áreas como Direitos Humanos, Ciências e Tecnologia e subsídios a serviços públicos.

A proposta, aprovada com o apoio dos partidos Justicialismo e Frente Renovadora após 13 horas de sessão, agora será encaminhada para o Senado, onde deve ser votada no próximo dia 20.

Estima-se que, caso o projeto seja aprovado no Senado, haja um corte de 10 a 15% nos investimentos em Ciência, Tecnologia e Direitos Humanos em 2017. Além disso, haverá uma redução de 30% nos subsídios aos serviços públicos, o que deve causar aumentos nos serviços públicos, que chegaram a subir 700% durante os primeiros meses do governo Macri.

“O que temos é uma verdadeira confissão de qual é a orientação econômica que o presidente Macri quer dar à Argentina: este é um orçamento de ajuste e unitário”, disse o deputado da Frente Pela Vitória, Axel Kicillof.

Atualmente, um em cada três argentinos (32,2%) vivem na pobreza, com 6,3% vivendo em estado de indigência, não tendo acesso a alimentos básicos para a sobrevivência, de acordo com pesquisa do Instituto Nacional de Estatística e Censos da Argentina (INDEC).

Continue lendo

campo refugiados def
Israel desobedece a CIJ e provoca novo massacre em campo de refugiados de Gaza
internacional
Qual é a eficácia dos empréstimos e da assistência internacional?
guerra
Vijay Prashad: a guerra dilacera o coração da humanidade

Leia também

palestina_al_aqsa
Guerra e religião: a influência das profecias judaicas e islâmicas no conflito Israel-Palestina
rsz_jones-manoel
Jones Manoel: “é um absurdo falar de política sem falar de violência”
Palmares
A República de Palmares e a disputa pelos rumos da nacionalidade brasileira
Acampamento de manifestantes pedem intervenção militar
Mourão, o Partido Fardado e o novo totem [parte I]
pera-9
A música dos Panteras Negras
illmatic
‘Illmatic’, guetos urbanos e a Nova York compartimentada
democracia inabalada
Na ‘democracia inabalada’ todos temem os generais
golpe bolsonaro militares
O golpe não marchou por covardia dos golpistas
colono israel
Os escudos humanos de Israel