Pesquisar

Ambulante é espancado em estação do Metrô de São Paulo e morre no hospital

Há indicativos de que o ambulante Luís Carlos Ruas tenha sido espancado por dois homens após defender um morador de rua homossexual.
por Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil
(Foto: Diego Torres Silvestre)

Um vendedor ambulante foi morto em uma estação do Metrô de São Paulo na noite de Natal (25). Segundo a secretaria estadual de Segurança Pública (SSP-SP), o vendedor Luís Carlos Ruas, 54 anos, foi agredido por dois homens, por volta das 22h25 de ontem, e morreu após ser espancado dentro da Estação Pedro II. O boletim de ocorrência do caso não esclarece, mas há indicativos de que o ambulante tenha sido espancado após defender um morador de rua homossexual, que teria se desentendido com os dois agressores.

De acordo com a SSP-SP, Ruas comercializava salgados e refrigerantes na Rua Vergueiro, na região central da capital paulista, e se desentendeu com os dois homens, próximo à estação do metrô. Ele tentou correr até a bilheteria da estação para escapar dos dois homens, mas foi atingido por vários golpes e caiu no local. Os agentes de segurança do metrô o socorreram e o encaminharam ao Hospital do Servidor, mas ele não resistiu às agressões.

Por meio de nota, a SSP-SP informou que o caso está sendo investigado pelo 1º Distrito Policial da capital paulista, e acrescenta que as equipes policiais fazem diligências para identificar e prender os suspeitos. Uma das linhas de investigação é de que um grupo de intolerância ao homossexualismo tenha praticado o crime.

Procurado pela Agência Brasil, o Metrô de São Paulo informou que depois de prestarem os primeiros socorros, os agentes de segurança da empresa conduziram o ambulante para o Pronto Socorro Vergueiro. Segundo a nota, o ambulante foi agredido na área livre do mezanino da Estação Pedro II. “O Metrô colabora com a autoridade policial para o esclarecimento do crime”, diz a nota.

Continue lendo

paraisopolis
Massacre de Paraisópolis: "cada dia de espera é mais um dia de sofrimento", diz antropóloga
forcas armadas
As Forças Armadas contra o Brasil negro [parte 1]
ditadura
Reabertura de comissão sobre mortos e desaparecidos da ditadura e luta contra o golpismo ganham força em ato no RJ

Leia também

palestina_al_aqsa
Guerra e religião: a influência das profecias judaicas e islâmicas no conflito Israel-Palestina
rsz_jones-manoel
Jones Manoel: “é um absurdo falar de política sem falar de violência”
Palmares
A República de Palmares e a disputa pelos rumos da nacionalidade brasileira
Acampamento de manifestantes pedem intervenção militar
Mourão, o Partido Fardado e o novo totem [parte I]
pera-9
A música dos Panteras Negras
illmatic
‘Illmatic’, guetos urbanos e a Nova York compartimentada
democracia inabalada
Na ‘democracia inabalada’ todos temem os generais
golpe bolsonaro militares
O golpe não marchou por covardia dos golpistas
colono israel
Os escudos humanos de Israel