Pesquisar

Força Nacional vai permanecer por mais 20 dias no Espírito Santo

Além da Força Nacional, as Forças Armadas também permanecerão no Espírito Santo por mais 13 dias além do que estava previsto.
por Andreia Verdélio – Repórter da Agência Brasil
(Foto: André Gustavo Stumpf)

A Força Nacional de Segurança Pública vai permanecer por mais 20 dias no Espírito Santo, atuando no policiamento ostensivo na capital, Vitória, e no interior do estado. A portaria do Ministério da Justiça e Segurança Pública foi publicada hoje (24) no Diário Oficial da União.

A prorrogação atende ao pedido do governador Paulo Hartung para recuperação da ordem pública no estado, prejudicada pela paralisação de policiais militares. Se necessário, o prazo de atuação dos agentes pode ser novamente prorrogado.

Além da Força Nacional, as Forças Armadas também permanecerão no Espírito Santo por mais 13 dias além do que estava previsto, porque a Polícia Militar ainda está desfalcada em cerca de 30%. A decisão foi anunciada na terça-feira (21).

A crise na segurança pública no Espírito Santo começou no dia 3 de fevereiro, quando parentes de policiais militares, principalmente mulheres, se reuniram em frente à 6ª Companhia, no município da Serra, na Grande Vitória, e bloquearam a saída de viaturas. Os protestos se estenderam para outros batalhões e terminaram atingindo todos os quartéis do estado. Eles reivindicavam reajuste salarial e pagamento de benefícios. Com a paralisação de policiais, o policiamento no estado ficou a cargo das Forças Armadas e da Força Nacional. Pelo menos 1,1 mil policiais militares responderão a inquérito policial militar por crimes de revolta ou motim.

Continue lendo

mst
Frei Betto: 40 anos de MST
europa
A crise de moradia alimenta a ascensão da extrema-direita na Europa
paraisopolis
Massacre de Paraisópolis: "cada dia de espera é mais um dia de sofrimento", diz antropóloga

Leia também

palestina_al_aqsa
Guerra e religião: a influência das profecias judaicas e islâmicas no conflito Israel-Palestina
rsz_jones-manoel
Jones Manoel: “é um absurdo falar de política sem falar de violência”
Palmares
A República de Palmares e a disputa pelos rumos da nacionalidade brasileira
Acampamento de manifestantes pedem intervenção militar
Mourão, o Partido Fardado e o novo totem [parte I]
pera-9
A música dos Panteras Negras
illmatic
‘Illmatic’, guetos urbanos e a Nova York compartimentada
democracia inabalada
Na ‘democracia inabalada’ todos temem os generais
golpe bolsonaro militares
O golpe não marchou por covardia dos golpistas
colono israel
Os escudos humanos de Israel