Pesquisar
,

Ucrânia: Saakashvili é mais uma vez detido e posto em liberdade

Mikheil Saakashvili lidera, há cerca de oito meses, um movimento pelo impeachment do presidente da Ucrânia, Petro Poroshenko.
por Pedro Marin | Revista Opera
(Foto: U.S. Marine Corps Photo by Sgt. Tammy K. Hineline/Released)

O ex-presidente georgiano Mikheil Saakashvili foi libertado da prisão nesta segunda-feira (11) sob fiança, após ser preso na última sexta-feira, acusado de tentar derrubar o presidente ucraniano Petro Poroshenko.

“O pedido para aplicar uma medida preventiva em forma de prisão domiciliar para Mikhail Saakashvili fica desestimado”, disse a juíza Larisa Tsokul. No último domingo, milhares de manifestantes marcharam pelas ruas de Kiev pela libertação do político.

[button color=”” size=”” type=”square” target=”_blank” link=”http://revistaopera.operamundi.uol.com.br/2017/12/07/ucrania-mikheil-saakashvili-e-o-golpe-dentro-golpe/”]Leia também – Ucrânia: Mikheil Saakashvili e o golpe dentro do golpe[/button]

Na terça-feira passada Saakashvili havia sido preso em seu apartamento em Kiev, mas uma multidão de seus apoiadores entrou em conflito com a polícia, libertando-o. O político lidera há cerca de oito meses movimentos pelo impeachment de Petro Poroshenko – presidente que o apontou para o cargo de governador do distrito de Odessa em 2015.

Continue lendo

balikatan china
Vijay Prashad: os Estados Unidos reúnem o esquadrão contra a China
milei
O realismo mata a ideologia: a rendição do governo Milei à China
carros eletricos
EUA-China: o problema com os carros elétricos

Leia também

palestina_al_aqsa
Guerra e religião: a influência das profecias judaicas e islâmicas no conflito Israel-Palestina
rsz_jones-manoel
Jones Manoel: “é um absurdo falar de política sem falar de violência”
Palmares
A República de Palmares e a disputa pelos rumos da nacionalidade brasileira
Acampamento de manifestantes pedem intervenção militar
Mourão, o Partido Fardado e o novo totem [parte I]
pera-9
A música dos Panteras Negras
illmatic
‘Illmatic’, guetos urbanos e a Nova York compartimentada
democracia inabalada
Na ‘democracia inabalada’ todos temem os generais
golpe bolsonaro militares
O golpe não marchou por covardia dos golpistas
colono israel
Os escudos humanos de Israel