Pesquisar
,

A presença naval dos EUA no Mar Negro duplicou em 2021

O aumento da presença naval dos EUA em 2021 em relação ao ano anterior no Mar Negro é parte das razões que levaram a Rússia mobilizar suas tropas no oeste e na Crimeia.
O aumento da presença naval dos EUA em 2021 em relação ao ano anterior no Mar Negro é parte das razões que levaram a Rússia mobilizar suas tropas no oeste e na Crimeia. Por Misión Verdad – Tradução de Pedro Marin para a Revista Opera
O destroyer USS Porter e a embarcação USS Mount Whitney no Mar Negro, durante o exercício Sea Breeze 2018, em conjunto com a Ucrânia. (Foto: Justin Stumberg / U.S Navy)

Um relatório da Star & Stripes, citado por Dave DeCamp no site Antiwar, compilou dados sobre a presença da Marinha dos EUA no Mar Negro durante 2021 e os comparou com os mesmos dados de 2020. A presença de navios estadunidenses na região neste ano mais que dobrou em relação à do ano passado.

Especificamente, a Marinha dos EUA passou 182 dias no Mar Negro em 2021, uma área de importância geoestratégica delimitada por seis países, incluindo Rússia e Ucrânia. No ano anterior, a Star & Stripes informou que os navios passaram 82 dias no Mar Negro.

O aumento dos números de um ano para o outro é notório, mas não supera o recorde de 2014, período em que ocorreu um golpe de Estado na Ucrânia com o apoio do governo dos Estados Unidos. Naquele ano, os navios dos EUA passaram 210 dias no Mar Negro. Dois anos depois, sua presença foi reduzida para 58 dias.

DeCamp acrescenta: “O recente aumento da atividade dos EUA e da OTAN no Mar Negro é visto como uma grande provocação em Moscou e foi parte da razão pela qual a Rússia enviou mais forças para suas bases no oeste da Rússia e na costa do Mar Negro, na Crimeia, que o Ocidente apresenta como um acúmulo de tropas ao longo da fronteira com a Ucrânia.”

Passar mais tempo no Mar Negro não significa necessariamente uma ameaça para a Rússia. Yakov Kedmi, ex-diretor do serviço Nativ, do governo de Israel, destacou que a Marinha dos EUA tem um grande problema: tem navios antiquados com grande deslocamento, que são alvos fáceis para os mísseis modernos.

Leia também – Por que os EUA disseram tantas vezes que a Rússia invadirá a Ucrânia?

O especialista explicou em entrevista como terminaria uma tentativa de invasão do Mar Báltico ou do Mar Negro pelos EUA: “Tratando do Mar Negro e do Mar Báltico, ali reina o domínio total da Rússia. Nenhuma força naval sobreviveria ali mais de 15 minutos”, explicou.

Continue lendo

balikatan china
Vijay Prashad: os Estados Unidos reúnem o esquadrão contra a China
milei
O realismo mata a ideologia: a rendição do governo Milei à China
carros eletricos
EUA-China: o problema com os carros elétricos

Leia também

palestina_al_aqsa
Guerra e religião: a influência das profecias judaicas e islâmicas no conflito Israel-Palestina
rsz_jones-manoel
Jones Manoel: “é um absurdo falar de política sem falar de violência”
Palmares
A República de Palmares e a disputa pelos rumos da nacionalidade brasileira
Acampamento de manifestantes pedem intervenção militar
Mourão, o Partido Fardado e o novo totem [parte I]
pera-9
A música dos Panteras Negras
illmatic
‘Illmatic’, guetos urbanos e a Nova York compartimentada
democracia inabalada
Na ‘democracia inabalada’ todos temem os generais
golpe bolsonaro militares
O golpe não marchou por covardia dos golpistas
colono israel
Os escudos humanos de Israel